Perante a Morte - 14/05/04

Imprimir

Por que o lamento perante a morte, meus filhos?

Não sabeis que os mortos reviverão?

Então por que a desesperança?

Sentis falta da presença física.

Tendes saudades... mas os que morrem vivem e continuam unidos a vós, pelos formosos laços do afeto e poderão estar sempre presentes pela força do pensamento, intuindo-vos belas lições.

Orai por aqueles que partem, para que tenham a serenidade de prosseguir a viagem e agradecei a Deus, que assinalou-os com a sua presença em vossas vidas, despertando em vós o conhecimento de tantas nobres lições.

Quanto de lealdade aprendestes com eles?
E responsabilidade?
E amor ao trabalho?
E desinteresse?
E misericórdia?

Ó, não choreis vós, que perdeis um ser querido. Pensai antes que cumpriu ele as suas tarefas, nesta vida, deixando-vos exemplos luminosos a serem seguidos.

Portanto, meditai hoje na morte, como o repouso merecido do guerreiro após a refrega, quando se prepara para novas lutas, onde se engrandecerá mais e mais a sua alma.

E lembrai-vos que Deus jamais desampara qualquer dos seus filhos. Se não desampara a vós, que tantas vezes cometeis faltas e andais em sombras, quanto mais aqueles que agiram no bem e retornaram humildes à Vida Maior.

Crede, meus filhos, que a Bondade do Pai é Infinita e aquietai os vossos corações, curvando-vos diante da Sua Soberana Vontade.

Batuíra
Mensagem psicografada, recebida em 14/05/04,
na Fraternidade Espírita Cristã Batuíra

Newsletter







Destaques Batuíra