Semeadura e Colheitas - 30/05/08

Imprimir

Quando o homem olhar a sua vida presente como seu objetivo maior e se preocupar só com as coisas materiais, dando-lhes desmesurado valor, sofrerá com todos os pequenos ou grandes contratempos que lhe aparecerem.

Dará imenso valor às posses e ao dinheiro, aos postos altos que quer ocupar, à juventude, à beleza, Cultuará o corpo e perderá precioso tempo em longos tratamentos que lhe permitirão uma estética perfeita e uma beleza física sem par.
Esquecerá de cultivar os bens valiosos da alma, as virtudes do coração, porque é imediatista e deseja ver realizados todos os seus desejos.
Em toda parte, verá ingratidão dos que lhe querem bem. Só enxergará os malefícios dos momentos difíceis.
Não dará valor ao amor dos seus familiares e com facilidade trocará o amor dos seus, por compromissos de negócios ou mero entretenimento social.
Tornar-se-á egoísta, orgulhoso, prepotente, autoritário e vaidoso. E perante a morte sentirá verdadeiro pavor.
Pouco ou nada esperará depois desta vida, por isso busca usufruí-la intensamente, pouco lhe importando as conseqüências. Pensa que quer ser feliz.
No entanto, aquele que preza os bens espirituais e que sabe que o espera a vida futura, tem paciência e compreensão diante dos revezes da vida material.
Aprende a amar os seus semelhantes, pois sabe que existe um elo de solidariedade que liga as criaturas, umas às outras e que mais dia menos dia, mais tempo menos tempo, todos nos amaremos como irmãos.
Este, a ninguém humilha ou ofende. Perdoa e compreende os que não pensam como ele, pelo seu modo de ver.
Fica feliz com o que de bom lhe acontece e enxerga nas dificuldades, apenas momentos de aprender.
Sabe que a vida material é passageira e que colherá amanhã, de acordo com a semeadura de hoje.
Faz o bem pelo bem e agradece a Deus pelos dias melhores, em que haverá de viver em paz, pela sua consciência tranqüila no dever cumprido e pelo entendimento pleno da marcha evolutiva do homem, neste mundo e na vida futura, com vistas à eternidade.

Batuíra
Mensagem psicografada, recebida em 30/05/08,
na Fraternidade Espírita Cristã Batuíra

Newsletter







Destaques Batuíra