Vida Familiar 06/08/2011

Imprimir

Por que achais que o Bom Pai permite que vós estejais reunidos em família, com criaturas que amais e por quem sois amados e com outras, que vos causam tantos pesares ao coração e que amais da mesma forma?

Vós já sabeis que em cada encarnação estamos envolvidos com aqueles que já conhecemos, especialmente os que nos feriram ou a quem ferimos e que precisamos reconquistar para o nosso afeto, definitivamente.

Por isso, tantas vezes o relacionamento familiar torna-se tão difícil.

São pais que não entendem os filhos; filhos que se distanciam dos pais; irmãos que causam dissabores uns dos outros; familiares que até parecem pessoas desconhecidas, que nos causam mal estar.

Tudo sob o mais perfeito controle diante dos desígnios de Deus para as nossas vidas, permitindo-nos esses reencontros, para que saldemos velhas dívidas contraídas em existências anteriores.

Então, como fazer? Como agir?

Diante das dificuldades no relacionamento, lembrai-vos: mais amor ainda.

O amor que é tecido de paciência, de compreensão, de ternura e de perdão, aliado à humildade e à mansidão é o mais excelente antídoto para as discórdias e o melhor de todos os medicamentos contra a raiva e a indiferença.

Por isso, quando vos sentirdes premidos por ingratidões, decepções e solidão no seio familiar, lembrai-vos que Deus está pondo à prova a vossa capacidade de superação do mal pelo amor e vivei, o quanto possível, com mais e mais amor.

Batuíra

Newsletter







Destaques Batuíra