Sêde Misericordiosos 22/01/2011

Imprimir

Meus filhos, não julgueis e nem recrimineis aqueles que se afastam do caminho e trilham por sendas escuras e enganosas.

Esses são dignos da vossa piedade e não da vossa condenação.

Desde os tempos antigos, em passadas encarnações, vestistes a toga de juízes severos das causas alheias, usando do vosso prestígio e do vosso poder, para advogar causas próprias.

Sempre fostes benevolentes para com as vossas atitudes, mas fostes severos e inclementes para com os atos alheios.

Aprendei a ser mais misericordiosos e complacentes.

Estendei a vossa compreensão para fora dos limites do vosso ego e enxergareis no vosso irmão alguém que sofre, que chora, que tem medo e que sente dor e que é digno da vossa piedade e do vosso amor.

Portanto, não julgueis aquilo de que não conheces, profundamente, a causa e muito menos condeneis aqueles que estão sob a aparência do erro, porque, como vós mesmos, também esses são filhos de Deus, para quem a misericórdia jamais faltará.

Newsletter







Destaques Batuíra