Sublime Apelo 17/09/2011

Imprimir

Muitos ensinamentos de Jesus causaram e causam polêmicas, entre os que não comungam com as suas idéias sublimes, pela estranha moral que apresentam.

“Eu não vim trazer a paz, mas a espada”, disse Jesus.

E não vieram as suas lições revolucionar os costumes, os hábitos e as crenças daqueles tempos?

O combate severo às imperfeições morais, do egoísmo – fonte geradora de todos os vícios; ao orgulho – que leva ao personalismo e à vaidade – que faz o homem julgar-se melhor do que os seus semelhantes, não era naqueles tempos e não é, até hoje, contrário ao que rezam os homens poderosos deste Mundo, os que se julgam melhores do que os outros?

Jesus pregava a igualdade, a fraternidade entre os povos e o amor entre todos os homens.

“Amai-vos uns aos outros como irmãos” e sereis reconhecidos como meus discípulos.

Mas o homem, ainda hoje, continua egoísta, lutando pelos seus interesses pessoais, tratando de acumular o necessário e também o supérfluo, em seu benefício e no dos seus familiares e não tem olhos para enxergar as misérias sociais e as necessidades mais prementes dos seus semelhantes.

Ao dar a esmola, muitas vezes, com má vontade, se julga em dia com a Lei de Deus.

Mas essa Lei é a do Amor. E da vivência desse Amor, indiscriminadamente, doado a todos os seres nesta vida.

Para o homem que vive com intensidade a vida material, sem pensar na vida futura que o espera depois da morte, na Espiritualidade e em outras vidas, não há previsão de futuro melhor, porque tudo o que lhe pertence hoje, materialmente, ele aqui deixará.

Somente levará consigo o bem que tiver feito e o afeto distribuído, acrescidos das boas lembranças daqueles que ele tenha ajudado e pelas migalhas de pão, que distribuiu.

Portanto, entendamos as palavras de Jesus, como o sublime apelo, para que ouçamos o Seu Chamamento e sejamos, sempre, melhores a cada dia.

E o futuro será de paz.

Newsletter







Destaques Batuíra