Pais e Filhos 21/08/2014

Imprimir

Mensagem Psicografada - Batuíra

 

Examinando as famílias no mundo, hoje com tantos problemas e dificuldades a resolver, nos lembramos que o Pai determinou que nos reuníssemos em famílias, para que pudéssemos, no lar, receber as primeiras lições de amor.

Quanto amor dedicam os pais aos seus filhos! Por eles, todos os sacrifícios e renúncias são poucos, diante do bem que desejam proporcionar-lhes.

Mas, não vos falo eu dos pais enfermos da alma, que abandonam a prole, trocando os deveres da paternidade, da maternidade e do lar, pelos prazeres enganosos que a vida oferecer, distraindo os seus sentidos, deixando de cumprir os deveres sublimes que têm nesta vida.

Falo-vos dos lares onde pai e mãe buscam agir com amor e bondade no trato com os seus filhos, embora, muitas vezes, encontrem só sofrimento, advindo da conduta escolhida por estes, causa de desconforto e de dor.

Ah, se os filhos soubessem dos planos que foram feitos pelos seus pais, quando, na juventude, se propuseram a recebê-los no berço e na vida!

E quantos planos fizeram, eles, juntos antes do reencarne! Quantos pedidos para que renascessem como pais e filhos, perdoando-se, para caminharem unidos como irmãos!

Se os filhos soubessem, por certo, o seu devotamento aos pais seria tão grande, que velhas querelas e dissensões poderiam ser curadas e resolvidas numa só encarnação.

Pais, amai os vosso filhos!

Filhos, amai os vossos pais!

Lembrai-vos dos vossos deveres mútuos de piedade e de afeição.

Juntos, sede mais que pais e filhos, sede amigos e irmãos em Deus!

E quando a vossa consciência vos acusar de alguma falha na convivência, não vos esqueçais que, sempre, é tempo de recompor o relacionamento, convivendo com mais misericórdia, uns para com os outros e com muito mais amor.

Newsletter







Destaques Batuíra