Perante a Riqueza - 30/10/2014

Imprimir

Mensagem Psicografada - Batuíra


O homem precisa dos bens materiais para viver no Mundo Material, mas não pode deixar-se escravizar pela sua fortuna , seja ela o dinheiro e os bens terrenos  ou a juventude e a formosura, a autoridade e o poder, ou os dons da saúde, da intelectualidade e todas as suas habilidades físicas, tudo afinal que Deus lhe concede como meio, para atingir a sua finalidade – promover o bem comum de todas as criaturas, a felicidade dos seus semelhantes, o progresso do mundo  em que vive e a sua evolução espiritual.

No entanto, quando portador dos bens considerados riquezas, continua o homem a esquecer-se do alvo principal que é a utilização de tantos dons, para o seu aprendizado de amor.

Apega-se ao que tem de material e não quer desprender-se de nada. E isto lhe é causa de sofrimento e de tristeza profunda.

Quem cultua, por exemplo, a juventude e a beleza, como vai se haver diante das rugas e dos cabelos brancos, junto ao corpo alquebrado e limitado por enfermidades ou pelo peso da velhice?

Na verdade, nosso corpo é o bendito instrumento da nossa vida na matéria e deve ser cuidado, para que nos forneça a energia necessária para o desempenho das tarefas que temos a cumprir, mas ele não é tudo.

É preciso, também, que cuidemos da nossa alma, para que esta se mantenha em pureza e em bondade, consoantes ensinamentos de Jesus.

É ela que sobrevive à ruína do corpo físico e passa a viver em planos mais elevados, pois que a morte do espírito não existe.

O mesmo se dá com a riqueza. Ela só terá valor real, se a soubermos transformar em instrumento de trabalho e progresso para toda a sociedade, gerando avanços científicos e tecnológicos, benfeitorias sociais sem que isto nos afaste de Deus, transformando-nos em cumpridores do nosso papel nesta vida, que é auxiliar a evolução, a harmonia, o bem estar e a paz de todos.

Se quisermos entesourar os nossos bens para a utilização apenas de nós mesmos e dos nossos descendentes, estaremos nos prendendo ao egoísmo.

Se formos perdulários, passaremos pela vida como irresponsáveis.

Precisamos multiplicar o nosso tesouro e colocá-lo a serviço de todos, sem preocupações de que um dia, o que repartimos nos fará falta.

Se Deus, Nosso Pai, fez germinarem as sementes e abençoa florestas e jardins; se fez correr do seio da Terra a água que dá vida; se nos concede ar, para respirarmos; se nos ajuda a formar lares onde recebemos nossos filhos, para fazermos deles  homens de bem; se planta no coração de todas as criaturas a semente viva do Amor, é para que sejamos capazes de utilizar essa força sublime, transformando, por nossa vez, a face da Terra e o sentimento dos homens, mas sobretudo, enobrecendo os nossos corações.

Newsletter







Destaques Batuíra