UNIDADE XV - EMANCIPAÇÃO DA ALMA

Imprimir

EMANCIPAÇÃO DA  ALMA

  • Sono e sonhos
  • Visitas espirituais
  • Sonambulismo, êxtase segunda vista

Relembrando sobre o conceito

ALMA (quando encarnado)     ESPÍRITO (quando  desencarnado)

Sem esquecer que não perde sua individualidade (períspirito) e que as comunicações espirituais atestando a identificação do Espírito comunicante, comprovam isso.

Emancipação quer dizer libertação; a  da alma se refere a possibilidade da alma deixar o corpo físico sem que para isso haja o desencarne.

O Espírito jamais fica inativo, sendo assim, durante o sono:

Sono e sonhos

O Espírito jamais fica inativo, sendo assim, durante o sono:

  • Afrouxam os liames
  • Vence distâncias
  • Relaciona-se
  • Dispõe de faculdades
  • Lembra do passado
  • Prevê o futuro

Questão 402. do Livro dos Espíritos:

Como podemos julgar a liberdade do Espírito durante o sono?

Pelos sonhos. Sabei que quando o corpo repousa, o Espírito dispõe de mais faculdades que no estado de vigília.   (segue)

Emancipação pelo sono é condicionada ao amadurecimento do corpo físico e da alma, portanto diferente intensidade para a criança e o adulto.

Sonhos

“Produto  da  emancipação  da alma, que  se  torna  mais independente  pela  suspenção da  vida  ativa  e  de  relação”

É a lembrança do que o Espírito viu durante o sono, mesclada com o que vivencia no estado de vigília, seus medos, preocupações, anseios, etc.

Por que não recordamos os sonhos plenamente?  Porque o Espírito não percebeu as imagens e situações com os órgãos físicos  (impressões sensoriais).

A incoerência dos sonhos, a falta de lógica, é explicada pelas lacunas (brancos) do que se vivenciou durante o sono.

Quanto a significação atribuída é preciso lembrar que as imagens são reais só para o Espírito e que frequentemente podem não ter relação com o que se passa na vida atual.

Portanto não se pode generalizar as significações, mesmo porque somos individualidades com expectativas e experiências de vida diferentes.

Os pressentimentos do futuro atribuídos aos sonhos somente se verificam sob permissão espiritual (mentores), sempre observando a utilidade (custo/benefício), lembrando que eles se cumprem para o Espírito e nem sempre para a vida atual.

É bom lembrar que para haver a emancipação da alma não há necessidade do sono profundo. Ela se dá quando houver entorpecimento dos sentidos, em todo instante de repouso, prostração das forças (na enfermidade), cochilo, etc.

A atividade do Espírito durante o repouso físico (sono) pode fatigar o corpo, pois ambos estão intimamente ligados.

Visitas espirituais

A  alma  exteriorizada,  emancipada,  liberta  pelo sono  ou  outros  fenômenos,  pode   COMO  OS  DESENCARNADOS   INFLUENCIAR   OS   ENCARNADOS.

  • ditar  comunicações (psicofonia ou psicografia)
  • raps
  • deslocar objetos
  • aparecer  à  distância

...  e  tudo  quanto  seja  possível  através da  mediunidade.

Extase contemplação sublime

Há independência quase total entre a alma e o corpo que é sustentado somente pela vida orgânica.

É um sonambulismo mais apurado, mais independente, onde existe mais exaltação que lucidez.

Segunda vista “é a vista da alma”

  • em perfeito estado de vigília
  • pode perceber cenas e fatos que ocorrem à distância
  • ou na esfera espiritual

É o resultado da emancipação da alma, sem que o corpo esteja adormecido.

Está subordinada á vontade, ao exercício (prática), á organização física, condicionada determinadas circunstâncias, como doença, comoção, perigo...

Existe em graus que variam, desde a intuição leve até premonições.

Destaques Batuíra