UNIDADE XVII - OCUPAÇÕES E MISSÕES DOS ESPÍRITOS

Imprimir

Unidade XVII –           OCUPAÇÕES  E  MISSÕES  DOS  ESPÍRITOS

É de todos os tempos a preocupação constante do homem no que se refere a sua própria existência, e questões como:  de onde vim?  -  para onde vou?  -  o que estou fazendo aqui? o assaltam vez por outra.

Sabemos que tudo faz parte de um propósito divino do Criador, portanto se observarmos a Humanidade, veremos que a evolução é uma constante para todos.

A evolução, portanto, nos direciona na condição da angelitude. Saímos de moléculas elementares, do princípio espiritual e seguimos a jornada na individualização como espíritos,  trabalhando, galgando espaços, aprendendo a conquistar virtudes e inteligência.

Esse é um trabalho individual, por nossa conta, onde estivermos, como encarnados ou não, é nosso espírito que age, comprometido em seu próprio adiantamento espiritual.

“A alma vem de Deus e volve a Deus, percorrendo o ciclo imenso dos seus destinos;” por mais baixo que tenha descido, cedo ou tarde, pela atração sobe de novo para o infinito.” Como esclarece Leon Denis, em sua obra - O Problema do Ser do Destino e da Dor.

Evolução é:

  • Conhecimento perfeito do Universo
  • Assimilação de seus (próprios) atributos:  beleza, verdade e amor
  • Libertação gradual da matéria  (escravização)
  • Colaboração crescente na obra de Deus

Na questão 558. De O Livro dos Espíritos, Kardec pergunta:

Os Espíritos  cuidam de  outra coisa,  além do seu  melhoramento  pessoal?

R: Concorrem para a harmonia do Universo, executando a vontade de Deus...

Todos sem exceção, superiores, inferiores, perfeitos ou imperfeitos através de encarnações sucessivas possuem ocupações  e  missões.

Ocupação é trabalho, afazer, emprego, profissão.                                                                   Missão é  incumbência, função temporária, encargo.

As ocupações dos Espíritos são incessantes,  pois eles vivem pelo pensamento... e são  apropriadas ao grau de adiantamento (sup. e inf.), enquanto ocupações materiais  cansam, extenuam, são necessárias ao progresso  (individual e social).

L E questão 564.                                                                                                                                                   Entre os Espíritos há os que são ociosos ou que não se ocupem de coisa alguma?

R: Sim, mas esse estado é temporário e subordinado ao desenvolvimento da inteligência.

  • Opção voluntária
  • Expiarão sua inutilidade
  • Seguem “sugestões” que os incentivam à ociosidade
  • Conscientização virá

Espíritos avançados ocupam-se do progresso:

  • Dirigindo acontecimentos
  • Sugerindo pensamentos favoráveis
  • Assistindo aos homens de gênio
  • Concorrendo para o adiantamento da Humanidade
  • Reencarnam com missões

As missões dos Espíritos encarnados é instruir os homens, ajudá-los a avançar, melhorar suas instituições (meios diretos e materiais). Podendo ser mais ou menos gerais e importantes desde o que cultiva, o que instrui, ou que governa.

Temos ainda entre os encarnados, as Missões altruístas, humanitárias, promovendo a saúde, o bem estar, o progresso, como por exemplo os que mitigam a fome nos países da África, os “médicos sem fronteiras”, as ongs e ainda o trabalho espiritual de Chico Xavier, de Divaldo Franco, da madre Tereza de Calcutá, e recentemente destacamos o papa Francisco, todos comprometidos com o amor e a caridade.

Observando a fragilidade moral dos homens, Kardec pergunta aos Espíritos na questão 575.                           Como se pode reconhecer que um homem tem uma missão real na Terra?

R:Pelo que ele realiza impulsionando o progresso

  • São predestinados
  • São impulsionados

Salientando ainda a importância do desprendimento pelo sono, onde ele recebe as sugestões e amparo.

Temos a partir da questão 582, tudo o que se refere  a paternidade que os Espíritos afirmam ser ao mesmo tempo uma missão, um dever, uma responsabilidade.

E Deus, como um pai amoroso, facilitou  a  tarefa  dando à  criança  uma organização  débil  e delicada,  que  a  torna acessível  a  todas  as impressões. Daí a responsabilidade da formação do caráter, aparando, retirando as imperfeições morais, através da exemplificação constante.

Se apesar dos cuidados, o filho se transviar do caminho correto, isso isenta os pais da responsabilidade e o mérito será proporcional aos cuidados empreendidos.

Se, apesar da negligência e maus exemplos torna um bom adulto,  pais não se beneficiam, porquanto  Deus é justo.

De todas as questões, se compreende que ocupações e missões são constantes na elevação de nosso Espírito e ilustramos o fato com a afirmativa de Leon Denis

“...não  tem  limites  o  domínio  da  vida. Qualquer  altura  a que  tenhamos  chegado, há  sempre  um  plano  superior  a  alcançar,  uma  nova  perfeição  a  realizar.”

Em – “O Problema do Ser do Destino e da Dor” , cap. XII - As missões, a vida superior.

Destaques Batuíra