XXI UNIDADE - LEI DO TRABALHO E REPRODUÇÃO

Imprimir
LEI DO TRABALHO
  • A relação do homem com o trabalho tem sofrido profundas transformações  ao longo do tempo.
  • Na tradição Judaico-cristã, o trabalho está associado à noção de punição, de maldição, como registrado na bíblia:

“Comerás o pão com o suor do teu rosto”.

  • Trabalho na antiguidade não se desvincula do entendimento da escravatura.
  • Na tradição cristã a Reforma Protestante fez com que o trabalho passasse a ser visto como instrumento de salvação.
  • Tradição oriental – enxerga o trabalho como uma atividade que harmoniza homens e desenvolve o seu caráter.
  • No final da Idade Média o trabalho começou a se apresentar com um sentido mais positivo.

- era encarado como uma ação auto criadora.

- espaço em que o homem exercitava suas capacidades

- vivemos a revolução agrícola.

- surgimento das cidades.

  • Século XVIII – ascensão da burguesia com a evolução da técnica / ciência – enfatizou-se a condenação do ócio, tornando sagrado o trabalho e a produtividade.
  • Idade Moderna – passou a diferenciar trabalho qualificado / não qualificado - trabalho manual / intelectual.
  • Agentes de trabalho ao longo do tempo:

- modo antigo de produção = escravos.

- feudal = servos da gleba.

- capitalista = empregado assalariado.

Por muito tempo o homem indagou pelo “Inventor do trabalho”

  • Nesse momento, vem a Doutrina Espírita nos ensinando que o inventor do trabalho foi: DEUS.

Objetivo: elevar os patamares evolutivos do homem.

“Sem o trabalho o homem permaneceria na infância intelectual.”

alimentação

  • Homem deve           segurança               a sua atividade de trabalho

bem estar

Trabalho = lei da natureza

  • Todo progresso / evolução é resultante da lei do trabalho.

-Thomas Edson foi perguntado se a genialidade era fruto da inspiração.

R= 1% inspiração

99% transpiração

- Pasteur:Quando perco 1 hora de trabalho, roubo a humanidade.”

- Joanna de Angelis – (Estudos Espíritas)

O trabalho apresenta-se ao homem como meio de elevação (...). Não fora o trabalho o

homem permaneceria na infância primitiva.”

- Jesus: “Meu Pai trabalha até hoje e Eu trabalho também.”

  • Tudo trabalha na Natureza:

- Reino Mineral – a Terra bola suspensa no espaço gira em torno do Sol que também se movimenta.

- Reino Vegetal – realização fotossíntese para a produção do oxigênio – essencial à vida.

- Reino Animal – desde os mais simples aos mais complexos – todos trabalham.

.......................//............//.......Até aqui prevalece o automatismo .......//..............//...................

- Reino hominal – não poderia ser diferente com o atributo do livre-arbítrio.

“Somos responsáveis pelas escolhas realizadas”

- Reino Espiritual – continuamos a trabalhar pela busca da evolução.

“A morte não nos exime do esforço de evolução, das atividades necessárias ao nosso progresso. Quem espera da morte o eterno descanso terá grande surpresa ao passar para a vida espiritual. Porque ali não encontrará o repouso útil, mas a atividade produtiva.”

Na Era do Espírito

Espírito – Irmão Saulo

Chico Xavier

  • Definição do trabalho L.E. (675)

“Toda ocupação útil é trabalho”

  • Através do trabalho o homem desenvolve virtudes.

Ex: no trabalho profissional o homem desenvolve:

- disciplina

- tolerância

- humildade

- gentileza

  • Trabalho também se estende:

- evolução pessoal – (ler boas obras / buscar conhecimento).

- contribuir com o próximo

- retribuir para o Universo

  • Joanna de Angelis divide o trabalho em 2 grandes áreas:

- remuneração – reflete na nossa vida exterior, satisfaz necessidades materiais, promove o nosso bem estar e o da comunidade na qual estamos inseridos (sentido horizontal).

- abnegação – caráter de lapidação interior – trabalho realizado quando já entendemos o nosso papel de co-criadores. Trabalho realizado com alegria / retribuição (sentido vertical).

  • Nada impede de efetuarmos de forma remunerada um trabalho realizado com abnegação.
  • Temos que buscar trabalhar naquilo que nos dá prazer.
  • Toda vez que a nossa mente não é ocupada pela necessidade de boas ações, será usina geradora das viciações que ainda habitam em nós.

encarnados

Vícios – atraem viciosos

desencarnados

  • Fugir das tentações da vida:

- trabalho

- oração

  • A noção da nobreza do trabalho se estabelece no homem na medida de seu adiantamento.
  • Nos mundos mais aperfeiçoados a natureza do trabalho vai se tornando menos material.
  • A ociosidade para o homem de bem é suplício.
  • Entre nós, muitos de nossos irmãos se encontram em condições desfavoráveis para o trabalho. Seria necessário que o mais forte e preparado conduza os desvalidos do caminho.

  • O ocioso que se aproveita sem nada produzir pode ser comparado a um parasita e colherá amargos frutos ao correr do tempo.
  • Os pais trabalham para os filhos, mas hora chegará que os filhos deverão contribuir com os pais.

Limite do trabalho - Repouso

  • Repouso após o trabalho também é uma lei da natureza.

- serve para reparar a força do corpo.

- limite do trabalho = limite das forças.

“Deus dá essa liberdade ao homem”.

- nos dias atuais essa liberdade não vem sendo utilizada com responsabilidade.

- Para saciar desejos da modernidade, o homem se expõe à exaustão.

- Colocamos o desejo de acumular bens materiais acima dos limites do nosso corpo.

- Passamos a não trabalhar com gosto, com significado, mas sim por necessidades materiais.

- O homem moderno nem sempre cria necessidades úteis ao seu adiantamento espiritual.

  • Não nos esqueçamos que Jesus na sua passagem à Terra, convidou diversas vezes os seus seguidores a descansar:

- reposição das energias

- respeitar os limites do corpo (sono)

- enquanto o corpo repousa, nosso Eu Espiritual se eleva para maiores aprendizados.

  • Os homens primitivos eram convidados a guardar o dia de “sábado”, com o objetivo de parar um dia que fosse a dedicar-se aos bens materiais para o exercício dos bens espirituais.
  • Todo homem que exerce o poder de dirigir é responsável pelo excesso de trabalho imposto aos seus subordinados (fere a lei Divina).

Convite – equilíbrio entre necessidades materiais / espirituais.

  • Portanto, fomos criados por Deus para a “ação”, e  a medida que evoluímos dilatamos esse entendimento:

- homem primitivo: só quer gozos / sensações.

- homem mais desperto: reconhece que a vida é serviço (responsabilidade).

- homem mais expandido: já consegue conjugar o verbo “servir”.

- homem evoluído: exercita o amor a favor de toda “Criação”.

  • Trabalhar com amor é fazer tudo para o outro como se fosse para nós mesmos.
  • Quando há amor nenhum trabalho é vazio.
  • Jesus veio à Terra a trabalho:

Servir / ensinar / amar a todos nós

Uma bela definição de trabalho vem de Gibran Khalil Gibran:

“Trabalho é amor tornado visível”

Lei da Reprodução

  • Partindo da máxima que regula a D. E:

Fomos criados por Deus, simples e ignorantes e destinados à perfeição.

Essa lei do Criador se processa encadeando sucessivas oportunidades reencarnatórias.

  • Aprendemos no Evangelho Segundo Espiritismo que “O corpo procede do corpo, mas o Espírito não procede do Espírito, porque este existia antes da formação do corpo.”

  • Quando perguntado aos Espíritos (L.E.-686) se a reprodução dos seres vivos é uma lei natural?

R: O mundo corporal pereceria sem a reprodução deles.

Reprodução: É uma série de processos pelos quais os seres vivos transmitem a vida a novos indivíduos e asseguram a continuação das espécies.

  • Ocorreu uma segunda preocupação:

“Possibilidade da população do globo tornar-se excessiva?”

R: (amparados na lógica)

- Deus tudo prevê

- Mantém em tudo o equilíbrio da vida

- Nada faz de inútil

  • Tudo no Universo se processa rumo à evolução e obedece leis que resultam em equilíbrio, mesmo que nós não compreendamos.

Ex: Lei da Destruição.

  • Também está previsto o aperfeiçoamento das raças.

- a origem se perde no tempo

- a grande família humana obteve um tronco, aliaram-se entre si e produziram tipos novos.

  • Nessa viagem no tempo – raças humanas decrescerão, desaparecerão e outras tomarão o seu lugar.

  • Assim como outras raças tomarão o nosso lugar.

  • Tudo obedecendo ao encadeamento evolutivo.

  • Os homens de hoje são os mesmo Espíritos que voltaram para aperfeiçoarem em novos corpos (ainda longe da perfeição).

Tende a invadir a Terra


Substituir as raças que se extingue

Raça humana atual

Irá decrescer / extinguir

Outras raças mais perfeitas a substituirão

  • Homens civilizados de hoje descendem dos seres brutos e selvagens dos tempos primitivos.

força bruta

raças primitivas

intelectual


força bruta

homem civilizado

intelectual

Ainda com relação à evolução e aperfeiçoamento das raças animais e vegetais é perguntado aos Espíritos se a interferência da Ciência é contrária à lei natural?

R: Tudo se deve fazer para chegar à perfeição e o próprio homem é um instrumento de que Deus se serve para atingir seus fins. Sendo a perfeição a meta para que tende a natureza, favorecer essa perfeição é corresponder às vistas de Deus.

Obstáculos à reprodução

L.E. – 693 – Leis / Costumes humanos com objetivo de criar obstáculos à reprodução são  contrários à lei natural?

R: Deus deu ao homem, sobre todos os seres vivos, um poder que ele deve usar para o bem, mas não abusar.

  • Regular a reprodução às necessidades, mas nunca entravá-la sem necessidade.

  • Deus deu ao homem a inteligência para que restabeleça o equilíbrio entre as forças da natureza.

  • Os próprios animais também concorrem para a existência desse equilíbrio. Com o instinto de destruição sua própria conservação é assegurada detendo o desenvolvimento excessivo e perigoso das espécies animais e vegetais de que se nutrem.

Nos diz Joanna de Angelis na obra “Após a tempestade” – psicografia de Divaldo Franco.

O homem pode e deve programar a família que deseja e lhe convém ter, como o número de filhos e o período propício para a maternidade, mas nunca se eximirá aos imperiosos resgates a que faz jus, tendo em vista o seu próprio passado.

Os filhos não são realizações fortuitas. Procedem de compromissos aceitos antes da reencarnação pelos futuros genitores, de modo a edificarem a família de que necessitam para a própria evolução.

  • Portanto a Doutrina Espírita defende que o obstáculo à reprodução não deve ferir a moral / ética.
  • Criar obstáculos à reprodução em atendimento aos anseios da sensualidade e da luxúria:

- Prova a predominância do corpo sobre a alma e quanto o homem é material...

  • É lícito um planejamento familiar entre parceiros lúcidos, conscientes pra que se estruturem de forma segura a oferecer condições reais de progresso evolutivo para seus filhos:

- alimentação

- educação

- saúde

- bem estar físico / mental

- amparo psicológico

- Contraponto           África

  • Infelizmente temos assistido a degradação de costumes abusando do avanço científico, não utilizando adequadamente os meios disponíveis de contracepção, semeando desajustes futuros.

Citaremos a orientação de Emmanuel no livro Vida e Sexo (Chico Xavier)

Sobre sexo:

- Não proibição, mas educação

- Não abstinência imposta, mas emprego digno, com o devido respeito aos outros e a si mesmo.

- Não indisciplina, mas controle.

- Não impulso livre, mas responsabilidade.

Fora disso, é teorizar simplesmente, para depois aprender ou reaprender com a experiência.

Aborto

Recordando L.E. – 358

“Uma mãe, ou quem quer que seja, cometerá crime sempre que tirar a vida a uma criança antes do seu nascimento, por isso que impede uma alma de passar pelas provas a que serviria de instrumento o corpo que se estava formando.

Ainda – Vida e Sexo – “Emmanuel”

- O aborto delituoso representa [...] um dos grandes fornecedores das moléstias de etiologia obscura e das obsessões catalogáveis na patologia da mente, ocupando vastos departamentos de hospitais e prisões.

Casamento

Casamento – união permanente de dois seres humanos, é um progresso na marcha da humanidade, pois regulamenta o instituto familiar.

  • Casamento – organiza a renovação do ciclo de renascimento.
  • Abolição do casamento – proporciona um retorno à vida dos animais.

O casamento é um dos primeiros atos do progresso nas sociedades humanas porque estabelece a solidariedade fraterna e se encontra entre todos os povos, embora nas mais diversas condições.

Abolir o casamento seria o retorno à infância da humanidade e colocaria o homem abaixo mesmo de alguns animais que lhe dão o exemplo das uniões constantes.

O Consolador – Emmanuel (Chico Xavier)

- Para o Espírita: o [...] matrimônio na Terra é sempre resultante de determinadas resoluções, tomadas na vida do infinito, antes da reencarnação dos Espíritos, seja por orientação dos mentores mais elevados, quando a entidade não possui a educação para manejar as suas próprias faculdades, ou em conseqüência de compromissos livremente assumidos pelas almas, antes de suas novas experiências no mundo; razão pela qual os consórcios humanos estão previstos na existência dos indivíduos, no quadro escuro das provas expiatórias, ou no acervo de valores das missões que regeneram e santificam.

Tipos de casamentos

1- Afins – formados por parceiros simpáticos, afins, onde há uma verdadeira afeição da alma.

Geralmente sobrevivem à morte do corpo e mantém-se em encarnações diversas.

Pouco comuns na Terra.

2-    Transcendentais – casamento entre almas enobrecidas, que juntas vão dedicar-se as obras de grande valor para a humanidade.

3-    Provacionais – uniões entre almas mutuamente comprometidas, que estão juntas para pacificarem as consciências entre erros graves perpetrados no passado e simultaneamente desenvolverem os valores da paciência, da tolerância e da resignação.

São os mais comuns.

4-    Sacrificiais – se caracteriza por uma grande diferença evolutiva entre os cônjuges.

Um Espírito de mais alta envergadura que aceita o consórcio com outro menos adiantado para ajudá-lo em seu progresso espiritual.

5-    Acidentais – casamentos que não foram programados no mundo espiritual.

Obedecem apenas à afeição física, sem raízes na afetividade sincera.

Abstinência e Celibato

  • Existem pessoas que preferem não se casar, optando pela vida celibatária.
  • Abstinência – em matéria de sexo e celibato, na vida de relações pressupõe experiências da criatura em duas faixas essenciais:

1-    daqueles Espíritos que escolhem semelhantes posições voluntariamente para burilamento ou serviço, no curso de determinada reencarnação.

2-    daqueles outros que se vêem forçados a adotá-las por força de inibições diversas.

Ex: sanar erros do pretérito.

L.E. – (698) – Celibato voluntário representa um estado de perfeição meritória aos olhos de

Deus?

Resposta: Não, e os que assim vivem, por egoísmo, desagradam a Deus e enganam o

mundo.

Poligamia x Monogamia

L.E. (701) – Qual é mais conforme a lei da Natureza?

  • A nossa sociedade prega a monogamia – homem e mulher se unem para uma vida comum afetiva.
  • A poligamia deve ser considerada como um uso ou legislação especial apropriada a certos costumes e que o aperfeiçoamento social fará que desapareça pouco a pouco.
  • Na poligamia não há afeição real: apenas sensualidade.
  • A abolição da poligamia marca um progresso social.
  • O casamento segundo as vistas de Deus tem que fundar na afeição dos seres que se unem.

Portanto: a monogamia está de acordo com a lei da Natureza.

Divórcio

Evangelho Segundo Espiritismo – Cap XXII: “É uma lei humana que tem por fim separar legalmente o que está separado de fato; não é condenável perante Deus, pois ele trata de legitimar o que já está separado, isto é, regular separações onde não há amor, mas somente a união dos sexos ou de interesses materiais.

A separação dos cônjuges não deve ser facilitada, pois o regime monogâmico é o que melhor se presta para a evolução do ser encarnado.

No casamento, o que é de natureza Divina é a união dos sexos e a Lei do Amor para operar a renovação dos seres que morrem, mas as condições que regulam essa união são de ordem humana, sujeita aos costumes de cada povo.

Chico Xavier em Evolução em Dois Mundos:

“O Espiritismo não é contrário à instituição do divórcio, embora não venha a estimulá-lo, nem tampouco incitá-lo nos casais, com problemas de relacionamento.”

Finalizando

  • Reprodução é lei natural que possibilita a reencarnação e a evolução do Espírito em corpos cada vez mais aperfeiçoados.
  • O Espírito torna-se o artífice de seu próprio futuro, seguindo o planejamento divino rumo à felicidade.

Bibliografia:

- Livro dos Espíritos – Allan Kardec

- Evangelho Segundo Espiritismo – Allan Kardec

- Estudos Espíritas – Joanna de Angelis

- Na Era do Espírito – Irmão Saulo (Chico Xavier)

- Depois da morte – Leon Denis

- Após a Tempestade – Joanna de Angelis (Divaldo Franco)

- Vida e Sexo – Emmanuel (Chico Xavier)

- O Consolador – Emmanuel (Chico Xavier)

- Evolução em Dois Mundos (Chico Xavier) André Luiz

 

 

 

 

Destaques Batuíra