Perante os Nossos Desafetos - 26/03/2015

Imprimir

Mensagem Psicografada - Batuíra

Meus filhos, é o ódio, esse sentimento tão nefasto, que entretém em vossas almas, os desejos de vingança, afastando-vos, definitivamente, das lides do bem.

Que esperais do proceder do vosso irmão, se não tendes uma gota de misericórdia em vossos corações?

Cobrais altos juros e taxas do sentimento alheio e não sois capazes do gesto de bondade e de paciência amorosa, que curariam as chagas dos vossos sentimentos e dos deles também.

Quereis competir sempre e vencer todas as disputas e, quando isso não acontece, tomai-vos de inveja e de ciúmes, filhos do egoísmo que nutre o ódio e entrais em terríveis lutas, para colherdes os vossos objetivos.

Ontem, nomeáveis essas lutas de duelos, procedimentos sanguinários, como se o sangue apagasse as manchas sobre a honra de alguém.

Hoje são simples disputas dizeis e agis na surdina, enlameando nomes de homens de bem, ou construindo armadilhas, que os levarão à desonra, à miséria, ao desprezo dos outros e, até mesmo, à enfermidades e à morte.

E vós vos ocultais sob o véu da hipocrisia e passais por criaturas bondosas ou por vítimas, quando sois maldosos verdugos dos que são os vossos desafetos.

Mas Jesus não nos ensinou que precisamos aprender a amar, indistintamente, a todos os seres com quem convivemos?

Só o amor pode destruir o ódio.

Quando vos transformareis sendo mais benevolentes e compreensivos, mais misericordiosos e afetuosos para com o vosso próximo?

Esforçai-vos, meus filhos! Buscai recuperar a lucidez de espírito, compreendendo a situação do, outro, que vos fere.

Quando praticamos o mal as conseqüências colheremos nós.

Mas quando alguém pratica o mal contra nós, a responsabilidade é toda dele.

E se a Justiça de Deus é magnânima, a nossa consciência em Nosso Pai nos dá a noção exata dos erros a corrigir, da reabilitação diante de quem ferimos e da misericórdia que precisamos estender a todos os nossos semelhantes, especialmente, para com aqueles que são os nossos desafetos.

“Amai os vossos inimigos”, ensinou Jesus.